Fazer Fácil, o maior site de ensino de coisas práticas do Brasil
Pesquisa Personalizada
Início >>Categorias>>Dívidas>>Dúvidas sobre dívidas de cartões e bancos
Fazer Fácil também está no Twitter Fazer Fácil também está no Youtube

Dívidas com cartões de crédito e bancos - as dúvidas mais comuns em relação ao SPC e SERASA


Agora retiraremos as dúvidas mais comuns que os devedores em geral tem sobre dívidas com cartões de crédito e bancos e por não saberem como proceder acabam se prejudicando. Todos são casos reais, acontecidos com pessoas comuns.

Dúvida 1: Gostaria de saber como proceder em um debito que o banco está me cobrando, sendo que já está pago, só que não tenho como provar, pois rasguei os pagamentos. Existe algum meio para eu provar? Tenho certeza que quitei, pois fiz outros empréstimos sem nenhum problema.

A única forma de comprovar os pagamentos das parcelas/débito, é mediante a apresentação do comprovante. Caso os pagamentos tenham sido efetuados através de débito em Conta Corrente, solicite ao banco o extrato referente ao período que causou o débito.

Dúvida 2: Por causa da facilidade do crediário automático acabei utilizando-o sete vezes e as mensalidades são descontadas diretamente na minha conta corrente, que é uma conta salário, comendo boa parte do meu salário, deixando-me sem ter como pagar as outras contas do dia a dia. Existe alguma possibilidade de conseguir uma redução nas taxas? Existe algum tipo de ação que eu possa entrar para somar os sete crediários e reparcelá-los com um valor que dê pra eu pagar sem sacrificar minhas outras despesas? O que devo fazer?

Solicite por escrito ao seu banco o cancelamento do débito em conta (fique com protocolo), isso é um direito seu. Sendo negado o pedido, ingresse com o pedido na Justiça, o juíz poderá lhe conceder uma liminar e todos os débitos serão cancelados. Uma outra saída é contactar o credor para um re-escalonamento da dívida que fique os valores das parcelas dentro das suas condições de pagamento.

Faça um Planejamento Financeiro para auxiliá-lo, comece cortando todos os itens superflúos e tenha o controle dos ganhos e despesas, o que lhe trará ótimos benefícios no futuro.

Dúvida 3: Devo no cheque especial e no cartão de crédito, mas não tenho nenhum cheque devolvido. Não tenho como pagar o que os bancos querem de juros. Pensei, não pago nada e (estou assim a quase um ano) e daqui a 3 anos prescreve. Faltando um mês para prescrever eles me ligam propondo pagar o que realmente devo sem juros... é jogo? Posso sofrer alguma sanção com isso? Ser executado?

Vale lembrar da existência do contrato de abertura de conta corrente ou empréstimos (limites) assinado a próprio com a instituição financeira. A qualquer momento o credor poderá negativar o seu nome junto ao SPC ou SERASA, conforme consta nas cláusulas do contrato - não tendo a sua cópia do contrato, solicite por escrito ao banco, é um direito seu.

Além do contrato, você deve solicitar, também um demonstrativo do débito atualizado para suas análises. Não constatando abusos na cobrança dos valores, procure efetuar um acordo. Não esqueça de observar as taxas de juros aplicadas caso for pagar a prazo (parcelado), o ideal é pagar à vista com descontos. Constatando pontos abusivos na cobrança, procure a Justiça para discutir os valores que a lei não permite, você terá boa chance de ser de ganhar a causa.

Dúvida 4: Devo a uma empresa que está me cobrando para renegociação da dívida juros de 0,033 ao dia e mais multa de 2% ao mês. Isso é correto?

O valor de taxa informada é considerada legal. Para saber o total em 30 dias faça o seguinte cálculo: 0,033 x 30 = 0,99% ao mês A multa de 2% está correta e em conformidade com o Código de Defesa do Consumidor. Refaça os cálculos para saber do fator diário que é 0,033 ou 0,33 ao dia. se for 0,33 ao dia corresponde a 9,9% ao mês.

Próxima

Veja também:

Pesquisa Personalizada

Fazer Fácil - Política de Privacidade - Um site da HHC Internet