Fazer Fácil, o maior site de ensino de coisas práticas do Brasil
Google
Início >>Categorias>>Pintura e Revestimento>>Pintura de portas
Fazer Fácil também está no Twitter Fazer Fácil também está no Youtube

Pintura de portas


Para a pintura de portas, janelas, rodapés, etc., recorra às indicações já referidas para preparação das superfícies a pintar — em branco ou já revestidas.

Portas almofadadas ou lisas

As portas almofadadas devem ser pintadas segundo uma determinada ordem e numa só sessão, a fim de evitar a formação de marcas na periferia das faixas pintadas.

Ao pintar as guarnições, a trincha não deve ter demasiada tinta, pois mesmo numa pequena quantidade em excesso poderá provocar escorridos.

No caso de portas lisas, comece de cima para baixo e pinte por seções.

Defeitos na pintura de portas

Ao aplicar a tinta, podem surgir defeitos, dos quais os mais comuns são:

Porta almofadada, sequência de pinturaAreento: Presença de pequenos grânu-los na superfície da tinta. Para eliminar esse defeito, e uma vez seca a tinta, passe com uma lixa d'água n.° 400. Aplique nova demão.

Brilho irregular:

Brilho de uma irregularidade desagradável que dá a sensação da existência de remendos na pintura. Para eliminar tal defeito, aplique novamente isolante e volte a pintar.

Contraste por transparência:

Ocorre quando a camada anterior de tinta ou mesmo a superfície são visíveis através de nova camada. Lixe a superfície e aplique uma ou mais demãos de tinta, conforme necessário, ou uma demão prévia de isolante.

Descamação:

Aderência deficiente do esmalte à superfície ou entre demãos. É com freqüência provocada por elevado grau de umidade da atmosfera quando da aplicação da tinta. Para eliminar este defeito, retire a película não aderente e aplique uma nova demão de esmalte em melhores condições atmosféricas.

Descolamento

:

Este defeito surge quando uma nova camada de tinta levanta a anterior. Pode resultar do fato da última demão de tinta ter sido aplicada antes da anterior ter secado completamente. Quando a superfície estiver completamente seca, alise-a com uma lixa e aplique outra demão antes da demão final, deixando-a secar devidamente. Procure, ao repintar, utilizar tinta com a mesma base.

Empolamento:

Formação de bolhas à superfície da pintura (que podem rebentar ou não), freqüentemente em conseqüência da aplicação de esmalte sobre superfícies diretamente expostas a sol muito forte. Uma vez seca a tinta, elimine as bolhas passando uma lixa fina e aplique nova demão de tinta de acabamento.

Porta lisa, sequência de pintura

Marcas de pinceladas:

Sulcos paralelos e muito próximos resultantes de uma aplicação pouco cuidadosa da tinta de acabamento. Uma vez a tinta seca lixe-a e aplique nova demão, seguindo cuidadosamente a seqüência apresentada.

Orvalhado e escorridos:

Espessuras irregulares de tinta, que tende a acumular-se em determinadas áreas em prejuízo de outras. Deixe a tinta secar convenientemente e, em seguida, elimine o defeito, passando lixa fina e aplicando outra demão.

Pastosidade:

Aumento de viscosidade de uma tinta devido a reações entre os seus constituintes. Ocorre com freqüência quando o tempo de armazenagem da tinta é demasiado prolongado. Nestas circunstâncias, adicione uma pequena percentagem de diluente.

Secagem lenta:

É causada por vezes pelo fato da tinta ter sido aplicada em tempo frio. Neste caso, basta apenas aguardar que esta seque. A secagem lenta, porém, pode também ser originada pela aplicação de tinta sobre cera ou gordura, o que obrigará a remover a tinta, limpar e. pintar de novo.

Google

Fazer Fácil - Política de Privacidade