Fazer Fácil, o maior site de ensino de coisas práticas do Brasil
Google
Início >>Categorias>>Cloud Computing>>Plataforma as service no cloud computing
Fazer Fácil também está no Twitter Fazer Fácil também está no Youtube

Plataformas as a service - Paas


Com a Platform as a Service (PaaS), o provedor oferece mais do que infraestrutura. Ele oferece o que podemos chamar de uma camada de solução - um conjunto integrado de software que fornece tudo que um desenvolvedor precisa para construir uma aplicação - tanto para desenvolvimento do software quanto para a execução dele.

PaaS pode ser visto como uma evolução do Web hosting. Nos últimos anos, as empresas de web hosting têm fornecido camadas de software bastante completas para o desenvolvimento de sites. PaaS leva essa ideia um passo adiante, fornecendo gerenciamento de ciclo de vida - capacidades para gerenciar todas as fases de desenvolvimento de software desde o planejamento e design, para a construção e implantação, para testes e manutenção. O principal benefício de PaaS é ter capacidade de desenvolvimento e implementação de software baseada inteiramente em cloud computing - portanto, sem esforços de gestão ou de manutenção para a infraestrutura. Todos os aspectos de desenvolvimento de software, a partir da fase de projeto (incluindo o código-fonte de gerenciamento, testes e implantação) ficam no ambiente de cloud computing.

PaaS é inerentemente multiusuário e, naturalmente, suporta todo o conjunto de padrões de serviços Web e geralmente é entregue com escalonamento dinâmico. Em referência a Plataforma as a service, o dimensionamento dinâmico significa que o software pode ser automaticamente ajustado para cima ou para baixo. Plataforma as a service normalmente enfrenta a necessidade de escala, bem como a necessidade de separar acesso e segurança de dados para seus clientes.

Embora essa abordagem tenha muitos benefícios para os clientes, ela também tem algumas desvantagens. A principal desvantagem da plataforma as a service é que ela pode restringir, forçando o uso de um ambiente de desenvolvimento particular e camadas de componentes de software. Plataforma as a service costuma ter alguns elementos proprietários (talvez as ferramentas de desenvolvimento ou mesmo bibliotecas de componentes). Consequentemente, existe a possibilidade de ficar preso à plataforma do vendedor e tornar-se incapaz mover seus aplicativos para outros lugares sem reescrevê-los em algum grau. Se de repente a empresa se tornar insatisfeita com o seu provedor de PaaS, ela pode ter despesas muito altas ao precisar reescrever as aplicações para satisfazer os requisitos de outro fornecedor PaaS.

O medo de se tornar dependente do provedor levou a uma nova variedade de Plataforma as a service: Open Platform as a Service. Ela oferece a mesma abordagem de Platform as a Service, exceto que não há nenhuma restrição na escolha do software de desenvolvimento. Ele evita a possibilidade de se tornar dependente.

Alguns exemplos de Plataforma como um Serviço incluem a Google App Engine, Etelos, Qrimp e Force.com, que é o ambiente de desenvolvimento oficial para a Salesforce.com.

 

Google

Fazer Fácil - Política de Privacidade