Emboço e teto falso, como fazer

O emboço é a cobertura das paredes, etapa necessária antes de qualquer outro acabamento. Após o emboço, caso se queira fazer uma superfície totalmente lisa, há necessidade de emassamento, sobre o que falaremos mais adiante.

O emboço é preparado com cimento e saibro, conforme as seguintes proporções:

  • — paredes internas: 1:4:4
  • — paredes externas: 1:3:3 (sujeitos à chuva).

Também pode-se usar apenas o cimento e areia de emboço, de acordo com estas medidas:

  • — paredes internas: 1:8
  • — pare dês externas: 1:6

O emboço começa na parte superior das paredes; há vários métodos para manter a massa por igual em toda a superfície, mas daremos aqui o que julgamos mais prático. Você precisará de quatro taliscas de madeira apropriadas (calços) para a marcação correia. Veja a figura abaixo

Maneira correta de emboçar uma parede
Maneira correta de emboçar uma parede

Com as 4 taliscas, você vai delimitar a área do trabalho. Um pouco de massa, para a talisca ficar fixada; mais abaixo, no comprimento do seu braço, coloque a outra; faça o mesmo com as duas do prumo para certificar-se que estão correias.

Agora, o seu trabalho é preencher o espaço entre as 4 taliscas, usando a massa e a régua de pedreiro. Com a régua, você sarrafeia a massa fazendo-a ficar toda por igual. Deve-se esperar um pouco, para que a massa “puxe”, antes de utilizar a desempenadeira para proporcionar um acabamento por igual. Um pouco de água, borrifada com uma broxa, vai ajudar em muito no trabalho com a desempenadeira. Com cuidado, você retira as taliscas, colocando-as em outra posição para prosseguir o trabalho; os buracos são preenchidos com massa e desempenados cuidadosamente.

Este trabalho exige um pouco de prática, mas o acabamento das paredes dará o aspecto da construção. O emboço ficará áspero, mas totalmente plano, portanto para receber a pintura ou um outro tipo de acabamento.

As quinas não devem ser muito vivas para não se quebrarem com facilidade. Um grande cuidado é necessário no acabamento no encontro com portas e janelas.

No interior da construção, o teto é emboçado antes das paredes. Emboçar o teto requer grande habilidade e um principiante terá de se esforçar bastante. Não pense em fazê-lo do alto de uma escada. Providencie andaimes firmes e com altura suficiente para o trabalho, cujo processo é idêntico aos das paredes. Para que a massa possa aderir mais facilmente ao teto, é aconselhável chapiscá-lo com uma mistura mole de cimento, água e areia (use uma peneira).

Para se obter um acabamento totalmente liso, em especial nas paredes internas, aplica-se massa corrida (massa plástica PVA). Para fazê-lo é necessário lixar as paredes com lixa grossa para madeira (no. 60); depois, limpa-se o local lixado e aplica-se a massa com desempenadeira de aço ou espátula.

Após a secagem, uma lixa fina para madeira (no. 150) será usada para as imperfeições, colocando-se nova camada de massa se for necessário.

O emassamento somente será feito por ocasião dos trabalhos de pintura.

Não emasse as paredes externas

Não se usa emassamento nas paredes externas; para que o aspecto das paredes externas, sujeiras às intempéries, seja liso e uniforme, utiliza-se o produto “reboquit” sobre o emboço, sendo a desempenadeira comum o instrumento para o acabamento final.

Os trabalhos de acabamento são feitos pelo pintor, já que o pedreiro se limita a colocar o emboço. Porém, da qualidade do trabalho do pedreiro dependerá a rapidez de execução por parte do pintor. Se o emboço tiver grandes falhas, defeitos no nivelamento da massa, o pintor encontrará dificuldades para a aplicação da massa corrida ou do “reboquit”. Além do acabamento tradicional, existe o rústico, que pode ser subdivido em vários tipos. Os mais conhecidos e utilizados são o chapiscado, o penteado e o grafitex.

No chapiscado, a massa é jogada com a colher de pedreiro através de uma peneira; embora pareça um trabalho fácil, ficará com aspecto horrível se o profissional for inexperiente. Nas grandes obras, o chapiscado é feito com uma máquina, o que facilita de fato o trabalho, embora não dispense boa dose de habilidade. Não sendo bem feito, o chapiscado apresentará seus defeitos.

O penteado é executado com uma escova ou pente sobre o emboço já desempenado, permitindo um aspecto de riscado. Os riscos podem ser na horizontal ou na vertical.

O grafitex é feito com uma broxa de caiação, que tendo sido amarrada para deixar apenas uma pequena parte da ponta livre, serve para aplicar a massa de emboço. A massa é colocada na parede com um rápido movimento giratório da broxa; em seguida, utilizando-se a desempenadeira para achatar a superfície da massa.

Tetos falsos

Os tetos falsos são feitos com a colocação de placas de gesso na altura desejada; tais placas já são preparadas para encaixe umas nas outras. Acabamentos apropriados, lisos ou com desenhos, formam o arremate final junto das paredes.

A primeira etapa é a marcação da altura desejada do teto falso, o que se faz com o auxílio de uma linha ou barbante de linho. A medição é feita a partir do piso. O barbante de linho é colocado em um recipiente com pó (gesso ou xadrez); suas pontas são presas na altura desejada (por duas pessoas), uma ponta em canto a canto da parede. Com um puxão rápido, o profissional faz com que a linha trace um risco em toda a extensão da parede, marcando exatamente a altura do teto falso. O processo é repetido nas quatro paredes do aposento, de forma que haverá então uma linha guia da altura que se deseja para colocação do teto falso.

Escolhido um dos cantos, inicia-se a colocação das placas de gesso; a primeira placa será apoiada na parede e presa ao teto por meio de um arame, o qual estará fixado em pino de aço. Os pinos de aço são enfiados no concreto do teto com uma pistola própria. Cada placa tem um encaixe adequado para o arame. Veja a figura abaixo:

colocação de placas para fazer um teto falso
colocação de placas para fazer um teto falso

A segunda placa se encaixará com a primeira, e assim sucessivamente.

Nos cantos, onde as placas se apoiam na parede, é preciso fazer a amarração; escareia-se a parede, colocando-se no local porções de sisal encharcado sem gesso. A amarração é pelo lado de dentro, conforme se vê na figura abaixo.

Além da amarração feita pelo lado de dentro, há necessidade de pinos nas paredes, na altura das linhas anteriormente marcadas, para o perfeito apoio das paredes de gesso.

forma de colocar a última placa em um teto
forma de colocar a última placa em um teto

Para a colocação da última placa, veja a figura acima.

Faça um corte quadrado na última placa, suficiente para a sua mão passar; o corte deve ser chanfrado para um perfeito encaixe posterior. Podendo colocar a mão por dentro, você fará a amarração nos cantos e a fixação do arame no pino. Depois, terá de encaixe o quadrado no lugar, passando um pouco de sisal molhado em gesso para que ele fique totalmente firme.

As placas onde serão fixadas as luminárias deverão ter furos, no diâmetro apropriado, para a fixação do “pé de galinha”.

Finalmente, todo o teto precisa receber uma camada de massa, a exemplo do que se faz em uma parede, para se obter uniformidade total. Antes da massa, aplica-se um líquido impermeabilizante, a fim de que o gesso aceite a massa facilmente. Para concluir, são colocados os arremates, fixados na parede e nas placas de gesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.