Tinta: como agitar, guardar e diluir

Todas as tintas, à exceção das tixotrópicas, devem ser bem mexidas antes de utilizadas, já que são constituídas por finas partículas em suspensão num meio líquido, as quais tendem a depositar-se no fundo da lata.

Se você puder dispor de tempo, será aconselhável inverter a posição da lata durante um dia ou dois antes de utilizar a tinta, para que as partículas possam assim redistribuir-se. Ao mexer a tinta, você deve fazê-lo com um movimento circular e ascendente, para assegurar uma redistribuição homogênea. Para conseguir uma melhor agitação utilize um batedor ou uma furadeira elétrica adaptada ao batedor.

Se você guardar durante algum tempo uma lata de tinta já aberta, notará que na superfície da tinta se formou uma película. Esta deve ser cortada à volta com uma faca afiada, tentando-se, em seguida, retirá-la de uma só vez. Em seguida, agite bem a tinta e passe-a por uma meia de náilon ou um passador de tintas.

Acontece, por vezes, sobrarem pequenas quantidades de tinta depois de um determinado trabalho. Neste caso você deve guardar a tinta em frascos com rolhas de cortiça e com etiquetas.

A maioria das tintas pode ser diluída — as plásticas com água e os esmaltes sintéticos com aguarrás ou diluentes próprios. Não dilua, porém, tintas tixotrópicas, pois, se o fizer, alterará o equilíbrio dos ingredientes, com o que a tinta perderá a natureza pastosa e o poder de cobertura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.